3 de setembro de 2016



É sempre bom falar das coisas lindas que acontecem por aqui e de todas as maravilhas que o país dos vikings oferece, mas nem tudo é perfeito. Pessoas ruins existem em todo lugar, até na Suécia, e espero que este relato sirva para que outras pessoas tomem mais cuidado ao confiar em desconhecidos, mesmo que tudo pareça estar certo.

Já ouvi muitos casos de estelionato envolvendo aluguel de apartamento por aqui. Dos que eu ouvi a respeito, era sempre um imigrante recém-chegado ao país caindo na lábia de quem já mora aqui há muito tempo, não necessariamente um sueco, mas também acontece. É aquele tipo de caso que a gente ouve e nunca pensa que vai acontecer com a gente, mas...

Tudo começou há três meses, quando recebi um aviso de que precisava sair do apartamento no qual estava morando até o final de agosto. O motivo era que a filha da dona do apartamento passaria a morar lá. Pensando ser mais seguro, decidi procurar por outro apartamento logo que recebi o aviso, três meses antes da mudança, assim eu já teria um lugar certo para morar quando acabasse o contrato anterior. 

Foram vários e-mails e vários apartamentos dentre os quais eu poderia escolher, escolhi um com preço acessível e que pareceu seguro. Depois de visitar o apartamento e saber de todos os detalhes, assinei o contrato e transferi o pagamento do primeiro mês e mais o que eles chamam de deposition: um valor (no meu caso, equivalente a mais um mês de aluguel) que seria devolvido ao final do contrato, caso tudo no apartamento estivesse nos conformes.

Não peguei as chaves, porque, segundo a mulher que estava alugando o apartamento, ela ainda morava lá, e iria se mudar e entregar as chaves uma semana antes da minha mudança para lá. Parte do motivo pelo qual eu confiei na palavra dela foi baseada na cultura de confiança que existe na Suécia; há quem diga inclusive que os contratos verbais são juridicamente válidos por aqui.

Fiquei tranquila por muito tempo, já que ela sempre atendia às ligações e sempre respondia às mensagens que eu mandava. Ainda assim, sentia que algo estava errado com o fato de eu não pegar as chaves do apartamento e ter que pagar o primeiro mês de aluguel três meses antes de me mudar, mas ela tinha desculpas tão bem ensaiadas que eu acabei acreditando. 

Uma semana antes da minha mudança, liguei para ela perguntando sobre as chaves; ela dizia que não seria possível entregar as chaves porque a filha dela estava doente e seria melhor alguns dias depois. Liguei dois dias depois e agora ela alegava ser ela a estar doente e que não poderia se encontrar comigo. Um dia depois ela dizia estar no hospital, e depois que iria operar. Outros dias se passaram e eu falei que eu iria buscar as chaves onde elas estivessem, já que eu precisaria me mudar no dia seguinte. Ela dizia que não estava com as chaves e que o marido dela arrumou trabalho em outra cidade e levou todas as chaves do apartamento com ele. 

Dia primeiro de setembro chegou. Seria quando eu deveria desocupar o apartamento anterior e me mudar para o novo apartamento. Não aconteceu. Ela já não atendia mais às ligações, não respondia mensagens, e eu não tinha nenhum lugar onde colocar minhas coisas, nem mesmo onde dormir. O desespero começou a tomar conta. O que caralhas d'água eu faria da minha vida agora? Em um país que não é meu, onde não tem casa de família para onde correr?

Escrevi a ela que chamaria a polícia, e então ela respondeu que estava tentando resolver e que não era necessário fazer isso e que devolveria meu dinheiro. Eu falei que queria um lugar para morar e não dinheiro, mas ela mandou uma confirmação de transferência bancária com um valor que ainda não chegou a minha conta.

O saldo disso tudo: minhas coisas estão em um depósito nada barato (muitas eu tive que jogar fora porque não couberam lá). Já estava ficando bem tarde quando percebi que aquilo não se resolveria naquele dia, então eu liguei para o lugar do depósito meia hora antes de fecharem. Foi tudo muito corrido, mas pelo menos minhas coisas não ficaram na rua. 

Como além de pessoas ruins também existem pessoas boas neste mundo, um amigo conseguiu arrumar uma caminhonete para me ajudar a levar a mudança até o depósito e outra amiga cedeu um quarto onde estou dormindo temporariamente até encontrar outro apartamento. 

A sensação que tenho é de burrice por ter depositado tanta confiança em alguém sem ter certeza de tudo, mas, ainda que muito ruim, isso tudo serve como aprendizado para experiências futuras. Ainda não sei exatamente o que aconteceu, se fui vítima de estelionato ou se ainda há chances de tudo o que ela disse ter sido verdade e se eu terei meu dinheiro de volta. 

Enfim, fica o aviso. Se precisamos tomar cuidado até ao confiar em conhecidos, precisamos redobrá-lo quando se trata de alguém que nunca vimos na vida.

Hej då! 
6

Por Victória Freitas

authorOi, Eu sou a Vic, autora do blog Morando na Suécia.
Quer saber mais?



♢ ♢ ♢

♢ ♢ ♢
Snapchat: stronglica

INSTAGRAM