4 de dezembro de 2017

O MEU TRABALHO NA SUÉCIA

Já faz tanto tempo que não escrevo um post (quase um ano) que decidi escrever sobre o motivo de ter deixado o blog tão de lado assim: meu trabalho.



COM O QUE EU JÁ TRABALHEI?
Acho que nunca postei no blog a respeito do assunto, mas já mudei algumas vezes de emprego por aqui: comecei com um projeto de telemarketing, estagiei em uma loja de roupas de segunda mão, trabalhei com tradução para uma empresa de hidroelétrica, fui garçonete e depois responsável pelo banquete da conferência no restaurante de um dos hotéis Scandic, sem falar em alguns freelas de fotografia e até figurante!

TENTATIVAS...
Dentre os diversos e-mails que enviei para várias empresas, já tinha tentado algumas vezes conseguir uma entrevista na Espresso House, uma rede de cafés famosa por aqui e que pode ser encontrada em praticamente qualquer esquina em Estocolmo. Não sei... sempre que ia ao café parecia que as pessoas estavam felizes em trabalhar lá, sem falar que sempre quis aprender a tal latteart.

Três vezes mandei meu currículo e três vezes a resposta foi negativa. Talvez porque eu ainda não tivesse tido alguma experiência em áreas parecidas. Mas eu ainda não tinha desistido e, depois da experiência de trabalhar no restaurante, enviei meu currículo uma quarta e vez e minha felicidade foi enorme ao ler o e-mail que me convidava para uma entrevista em grupo.

Depois de ter me saído bem na entrevista, eu tive treinamento em uma Espresso House bem movimentada enquanto outras quatro pessoas trabalhavam comigo; era super divertido e eu nem via o tempo passar. E uma das regras principais para os baristas é: divirta-se enquanto trabalha! Era muito legal e eu ficava alegre até quando eu tinha que atender uma fila de três horas com a boca seca de tanto falar...

EXPECTATIVA x REALIDADE
Até que o treinamento acabou e eu finalmente iria começar a trabalhar na Espesso House para a qual eu fui contratada. Achei que todas fossem tão legais quanto à primeira e minha surpresa não foi tão agradável quando descobri que trabalharia sozinha. É bem tranquilo quando o movimento não é tanto, mas não é nada legal na hora do rush

Meu plano era mostrar que eu trabalhava bem até eu conseguir mudar para outro local. Fiquei alguns meses por lá, fiz o curso de barista que eles oferecem e que é muito divertido e, pouco tempo depois, fui convidada para fazer o curso de Senior barista, pois disseram que eu tinha me saído bem no curso básico. Imagina a minha felicidade!!!



Bem ali eu vi que eles gostavam do meu trabalho e procurei saber as possibilidades de mudar para outro café, pois além de aquele ser longe de casa eu não gostava muito de trabalhar sozinha. Algum tempo depois consegui que me transferissem para uma Espresso House que fica a 10 minutos de caminhada de onde eu moro e estou lá até hoje. É claro que cada uma tem seus pontos positivos e negativos; esta, por exemplo, apesar de ser pertinho de casa, abre às 6h da madrugada. Mas ainda acho que o saldo é positivo e estou gostando muito de trabalhar por lá e posso dizer que é um dos trabalhos mais divertidos e desafiadores que já tive até hoje.

Não sei o que o futuro me reserva, sigo sempre com planos e aprendizados e vendo no que dá. Por enquanto estou satisfeita, mas nem tanto a ponto de não querer algo ainda melhor! :)

Até o próximo post e hej då!

P.S.: Os baristas concorrem a prêmios durante o ano que podem ir de vale compras até viagens internacionais. Depois que escrevi o post, recebi uma mensagem da minha chefe dizendo que eu ganhei algo por ter me saído melhor no mês passado. Ainda não sei o que é, mas provavelmente algo simples, como um vale cinema que ganhei de outra vez :). Não é super legal?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por Victória Freitas

authorOi, Eu sou a Vic, autora do blog Morando na Suécia.
Quer saber mais?



♢ ♢ ♢

♢ ♢ ♢
Snapchat: stronglica

INSTAGRAM